Ética no serviço público: como lidar com desvios comportamentais?

30/01/2018

Os desvios comportamentais aparecem em todas as medidas e tipos. Entre os principais estão transtornos de personalidade, de atenção e de relacionamento social. Quando se fala em ética no serviço público, ainda há questões predominantes, como alcoolismo ou corrupção.

O grande obstáculo é que essas situações geram diminuição de produtividade, perdas de recursos e até infrações a regras e leis. Então, é essencial buscar formas de evitar e combater os problemas.

No post de hoje, vamos apresentar algumas orientações para conquistar a ética no serviço público e lidar com desvios de comportamento. Veja!

Como gerenciar os diversos transtornos de comportamento?

Os distúrbios de comportamento devem ser manejados corretamente dentro do ambiente público. Apenas desse jeito é possível garantir uma atuação consistente e com um elevado nível de ética. Conheça algumas das recomendações.

Analise e elimine os riscos

A prevenção é sempre a melhor saída e, portanto, é fundamental conhecer quais são os riscos. Entenda, por exemplo, quais são as consequências de ter um servidor corrupto no setor financeiro.

A partir disso, crie medidas para evitar a situação - como ao adotar um sistema de compliance ou criar um monitoramento mais robusto. Ao eliminar os riscos, é possível identificar os problemas com maior facilidade e trabalhá-los de um jeito eficiente.

Conte com acompanhamento profissional

Muitos servidores já são convocados com certos distúrbios comportamentais, mas outros podem desenvolver quadros. Em todos os casos, é essencial ter o apoio profissional. A existência de uma equipe multidisciplinar de profissionais, como de psicólogos ou psiquiatras, permite que os problemas sejam manejados corretamente. Ao oferecer condições de elevar a saúde mental, a ética no serviço público é favorecida.

Fortaleça o Código de Ética

Toda função no serviço público conta com parâmetros éticos que devem ser observados. No entanto, nem sempre as pessoas sabem quais são. Para evitar certas condutas, repasse o que estiver previsto no Código de Ética e fortaleça essa atuação integrada. Desse modo, é possível garantir que todos compreendam as consequências de certos atos.

Quais são os benefícios para a melhoria da ética no serviço público?

Ao lidar com os transtornos comportamentais do modo correto, há ganhos importantes para todos os envolvidos. Longe das dificuldades geradas por esses problemas, o clima de trabalho fica muito melhor e positivo. As pessoas se tornam mais satisfeitas e engajadas. Além de tudo, as ações são importantes para evitar custos e prejuízos à administração pública. Ao final, o trabalho de todos se torna mais eficiente - inclusive, o da gestão.

Como prevenir tais ocorrências?

Além de analisar os riscos, é possível adotar algumas medidas para evitar problemas comportamentais. A principal acontece antes da convocação definitiva. Nesse momento, o ideal é incluir uma avaliação criteriosa a ser realizada após a nomeação.

Em vez de contar apenas com o médico do trabalho, o exame admissional também deve ser conduzido por um psicólogo e por um psiquiatra. Os distúrbios mentais e comportamentais, na maioria das vezes, já são verificados nessa fase. Ao ter o apoio profissional adequado para identificá-los, é viável evitar o afastamento posterior ou as demais consequências.

Com as devidas preocupações sobre a ética no serviço público é possível atingir resultados otimizados. Desse modo, há um melhor uso do dinheiro público e um funcionamento de excelência dos serviços.

Os desvios comportamentais podem gerar diversas ocorrências, então aproveite e leia também nosso artigo sobre como lidar e resolver conflitos no ambiente de trabalho.