Cultura de feedback: como promovê-la na gestão pública?

10/05/2018

A cultura de feedback é um assunto que tem sido cada vez mais explorado devido a seus reflexos positivos em diversos tipos de trabalho. No setor público não é diferente: vários gestores estão indo atrás de informações para utilizar essa abordagem em seus respectivos órgãos, instituições ou entidades.

As maiores dificuldades nesse sentido estão, muitas vezes, na falta de conhecimentos sobre como implementar a cultura de feedback. Afinal, se isso for feito de maneira inadequada, os resultados obtidos podem ser bem negativos.

Assim, não basta apenas aderir ao hábito de dar e receber feedbacks: é preciso se informar e saber como fazê-lo. Neste post, ofereceremos algumas dicas básicas para você iniciar seu aprendizado sobre o assunto.

Ficou curioso? Continue a leitura e acompanhe!

Mostre que feedbacks não são ruins e favoreça um ambiente seguro

Muitas pessoas podem ver o feedback como algo negativo - como uma cobrança, por exemplo. Estamos acostumados a um modo de pensar em que os retornos ou apontamentos que recebemos são tomados como críticas. E ninguém gosta de se sentir criticado, certo?

Por isso, é importante trabalhar para desconstruir tal mentalidade a respeito dos feedbacks desejados na instituição. Mostre que isso é algo natural, que não haverá uma carga negativa e que o objetivo é construtivo.

Além disso, é importante deixar claro que os agentes públicos não sofrerão nenhum tipo de punição ou prejuízo por darem feedbacks, mesmo se estes não forem positivos. Lembre-se também de respeitar aqueles que não conseguirem ou não quiserem se manifestar.

Cuide para que o feedback seja construtivo, transparente e objetivo

Como foi explicado no tópico anterior, é muito importante que o feedback seja construtivo, especialmente quando ele for negativo. Não se deve apenas apontar uma falha ou algo que não está indo tão bem: é preciso dar oportunidades de melhora e de correção, e mostrar que a intenção do feedback é ajudar a entidade e o servidor.

Outra ideia é ajudar a identificar o que pode ser feito para melhorar. Esteja aberto para ouvir as pessoas e auxiliá-las. Você pode, por exemplo, sugerir pontos de partida para resolver uma questão.

Outros pontos importantes são transparência e objetividade. Seja honesto sobre a instituição e dê feedbacks com bases objetivas, com exemplos e argumentos válidos. Também ressaltamos que não se deve fazer nenhum tipo de comparação com outros servidores ou equipes. Essas não são características de um feedback adequado.

Torne os feedbacks um hábito regular

Para a cultura de feedback ser mais eficiente, é importante ir tornando esse hábito algo regular. Isso ajuda a acompanhar a entidade, a solucionar problemas e a melhorar o clima entre todos no local.

Não existe uma regra a respeito de quanto em quanto tempo é necessário dar feedbacks. Cada instituição deve identificar o que é melhor para si e para seus trabalhadores. Quanto a receber feedbacks, é interessante que a gestão se mostre sempre aberta para escutar.

Encontre o momento certo para dar feedbacks

Os feedbacks podem ser colhidos informalmente, em conversas com os servidores. No entanto, na hora de dar um feedback a alguém ou a algum grupo, é importante ter atenção e cuidado, principalmente se seu conteúdo for negativo.

Pense na maneira de falar e, além disso, lembre-se que o melhor é fazer isso isoladamente, sem que outros vejam, para evitar constrangimentos. Tome cuidado apenas para que o momento não assuste nem cause desconforto.

Se implementada de maneira correta, a cultura de feedback ajuda a potencializar o desenvolvimento das atividades e a melhorar o convívio no ambiente de trabalho.

Esperamos que nossas dicas tenham ajudado a entender a importância do feedback nos serviços públicos! Assine nossa newsletter e receba conteúdos como este em seu e-mail!